Home > Marketing > O poder do organograma

O poder do organograma

Eu nunca tinha ouvido falar da “Lei de Conway” e muito provavelmente você também. Mas uma curiosidade me “bateu a porta” logo que soube que a Harvard Business Review a rejeitou (em 1967) devido a falta de provas concretas. Mas o interessante não foi a rejeição da HBR mas sim algo que ela comprovou em 1968.

O que seria isso?

Melvin Conway observou que a forma como as organizações eram estruturadas tinha um forte impacto sobre os sistemas que elas criavam. Ele escreveu: “Qualquer empresa que projeta um sistema (definição mais ampla aqui do que apenas sistemas de informação), inevitavelmente produz um projeto cuja estrutura é uma cópia da estrutura de comunicação da organização.”

Isso é muito interessante, pois pode significar que o website institucional de uma empresa pode ter “várias caras ao mesmo tempo”, segundo as pessoas que trabalharem nele, devido a necessidade de mostrar a estrutura da empresa. Nada mais do que normal, do que acontece todos os dias. Assim, em um site podemos ver uma cara do departamento de marketing, uma outra da equipe de vendas, mais uma da equipe de RH… O DNA da empresa/serviço/produto bem explicito!

Mas mostrar a estrutura da empresa é errado? Claro que não, desde que os pontos estejam conectados com quem realmente importa…

Lei de Conway

Em meu trabalho, tenho percebido que quanto mais eu desenvolvo websites (e organizando conteúdo), mais eu conheço os problemas que meus clientes estão enfrentando. Os links que são criados nada são que entrelinhas da estrutura que meu cliente possui. Foram raras as vezes que não percebi isso, aquilo que denominamos de “falhas organizacionais”. Todavia, o mais importante não são essas descobertas em si, mas sim as oportunidades de promover soluções que os códigos HTML estão mostrando. Como podemos nos focar naquilo que realmente importa?

A estrutura da empresa deve ser apresentada, mas aquilo que você oferece precisa estar linkado com o que o cliente está procurando ver. Somente desta forma seu serviço (ou produto) pode alcançar o objetivo desejado. E se o DNA que você mostra não afeta o seu ambiente, é preciso rever o seu organograma.

Lei ou não, cada vez mais se torna importante olhar as coisas como elas são. Negócios precisam estar focados em seu alvo final, suas estruturas e formas precisam se adaptar para as necessidades reais de seus clientes. Muito mais do que um desenho, o organograma do seu negócio precisa ser relevante para eles.

Pegue papel, lápis e post-its. Sempre há tempo para criar relevância para as pessoas 🙂

 

 

You may also like
Design + Hospital? Tudo a ver!
Persevere! Os ventos podem mudar!
Moedas de Ouro

Leave a Reply

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.